Como Dizer Adeus em Robô - Natalie Standiford

outubro 14, 2013

TÍTULO: Como Dizer Adeus em Robô
SÉRIE: -
AUTORA: Natalie Standiford
EDITORA: GALERA RECORD
ANO: 2013
PÁGINAS: 344
ISBN: 9788501091024


Sinopse: Com um toque melancólico, o livro conta a singular ligação entre Bea e Jonah. Eles ajudam um ao outro. E magoam um ao outro. Se rejeitam e se aproximam. Não é romance, exatamente mas é definitivamente amor. E significa mais para eles do que qualquer um dos dois consegue compreender... Uma amizade que vem de conversas comprometidas com a verdade, segredos partilhados, jogadas ousadas e telefonemas furtivos para o mesmo programa noturno de rádio, fértil em teorias de conspiração. Para todos que algum dia entraram no maravilhoso, traiçoeiro, ardente e significativo mundo de uma amizade verdadeira, do amor visceral, Como dizer adeus em robô vai ressoar profunda e duradouramente. (Skoob).


Minha opinião: Como expressar todas as emoções que essa leitura me causou? Gente, eu sei que eu só dei 3 estrelas, mas este livro é uma leitura indispensável e acredito até que eu não li ele em um bom momento.


Como Dizer Adeus em Robô é narrado em primeira pessoa por Beatrice Szabo ou Bea, uma garota que se acostumou a ter amizades superficiais já que é obrigada a se mudar todo ano por conta do trabalho de seu pai.

O senhor Szabo, pai de Bea, é um professor universitário altamente aclamado que não pensa duas vezes antes de arrastar a família a outra cidade simplesmente para elevar seu ego profissional.

Para melhorar esta instabilidade familiar, a mãe de Bea começa a agir de forma complicada, com atitudes extremamente infantis e dona de um humor imprevisível, ela começa a acusar Bea de ser uma sem coração, assim como um robô. A senhora Szabo passa os dias decorando a casa com figuras de galinhas e resolve que deve se vestir somente com um biquíni de bolinhas e brincos de galinhas feitos a partir de recortes de papelão.

É dentro deste contexto que Bea inicia seu último ano escolar e é claro que ela começa a se questionar quanto as acusações de sua mãe, talvez ela seja mesmo uma robô. Afinal, todos aqueles adolescentes da nova escola em Baltimore parecem tão diferentes do que ela é. Exceto um, o garoto que senta ao lado dela na cerimônia de boas vindas que ocorre todos os dias em sua nova escola. Jonah Tate é o único que consegue retirar o grande tédio que Bea está sentindo.

Jonah, apelidado desde a terceira série como o Garoto Fantasma é um adolescente tímido, solitário e ignorado pelo pessoal do colégio, mas ele não se importa nem um pouco com isso e parece que Bea também não. Há uma identificação instantânea entre ambos e a partir deste primeiro contato vamos ver nascer uma amizade tão intensa e completamente diferente do que estamos acostumados.

Esta é uma história emocionante, apesar de eu não ter chorado durante a leitura. Mas, devo dizer que se você está esperando uma história clichê de adolescentes, onde tudo o que importa é encontrar o par perfeito para ir ao baile, stop, este livro definitivamente passa longe de tudo isso.

Como Dizer Adeus em Robô nos apresenta a vida de Bea mês a mês, durante o seu último ano do ensino médio, a sua situação familiar em ruínas, a sua luta entre ganhar e perder a amizade de Jonah e o crescimento pessoal de ambos.

É desta forma que viajamos a bordo de um Tapete Voador junto com Bea e Jonah e somos convidados a conhecer os vários personagens que dão vida ao programa de rádio "The Night Lights". Este programa acontece durante as madrugadas e é como uma espécie de terapia de grupo onde cada um expõe todo tipo de sentimento que os perturba. 

Apesar de eu não ter conseguido me aproximar muito dos personagens eu me senti atraída pela história. A forma como tudo foi colocado me fazia pensar e repensar nas minhas próprias atitudes, naquilo que eu entendo por amizade, família e comportamento. Eu também adorei os personagens secundários, os curiosos participantes do programa de rádio: Myrna, Larry, Kreplax do futuro e o obstinado Walt.

Natalie nos mostra que o amor pode ser algo incrível e ao mesmo tempo devastador. Em Como Dizer Adeus em Robô vemos como somos frágeis e imensamente fortes ao passar por determinadas situações em nossas vidas. 

Preciso destacar que a diagramação do livro ficou perfeita. Apesar das folhas brancas, a editora brincou com um tom de rosa que o deixou maravilhoso. Chega a dar vontade de ficar folheando só pra admirar. 

Por fim, Como Dizer Adeus em Robô é doce e triste, mágico e real, indispensável e arrebatador. É um daqueles livros que deve ser digerido com calma para que possamos abstrair tudo aquilo que nos é apresentado, mas não é uma leitura difícil, afinal o livro é um young adult e segue este padrão.

O final do livro não fecha as portas da história, mas a Natalie já informou que não pretende dar continuação a este romance.Enfim, leitura recomendadíssima!

Até a próxima!

Você também poderá gostar de:

2 comentários

  1. Esse contexto escolar e de mudanças de vida é sempre envolvente. Parece um bom livro!


    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo Isa, pena que eu não consegui absorver muito. Ele é pouco complexo =)

      Excluir

Facebook

Twitter